27 de maio de 2012

Alunos do Lordão se preparam para o ENEM e a UEPB


     
      O Ministério da Educação abriu as inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Os estudantes da Escola Professor Lordão podem ser inscrever até o dia 15 de junho. A prova ocorrerá nos dias 3 e 4 de novembro e será aplicada em 140 mil salas de aula, a partir das 13 horas, no horário de Brasília.
      No primeiro dia, serão realizadas as provas de ciências humanas e suas tecnologias e ciências da natureza e suas tecnologias, com duração de quatro horas e meia. No segundo, os estudantes terão cinco horas e meia para fazer as provas de matemática e suas tecnologias, linguagens, códigos e suas tecnologias e redação.
      A redação dos estudantes inscritos no Enem deste ano será submetida a um novo sistema de correção. A intenção é aumentar o rigor na avaliação dos textos e, assim, evitar pedidos de revisão da nota.
      Outra mudança refere-se à nota mínima para certificação de conclusão de ensino médio, que passa de 400 para 450 pontos em cada área do conhecimento. Na redação está mantido o mínimo de 500 pontos.
      O ENEM é uma das formas dos estudantes conseguirem sua certificação do Ensino Médio. Assim, os alunos que tem a partir de 18 anos podem solicitar a nota do exame para certificar seu ensino médio, para isso precisam indicar seu desejo  no ato da inscrição. 

UEPB

      A universidade Estadual da Paraíba publicou na quarta (23) o edital de ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PARA O CONCURSO VESTIBULAR 2013 E/OU PARTICIPAÇÃO NA COTA DE INCLUSÃO. O Estudante da rede publica tem até o dia 08/06 para enviarem seus requerimentos para avaliação da Universidade. Para ter acesso ao edital completo pode consultar o blog da escola: Mídias no Lordão, o site da UEPB ou a secretaria da Escola Professor Lordão.

PBvest.


      Para reforçar os conteúdos do Ensino Médio visando o vestibular da UEPB e o ENEM 2012, a Escola Estadual Professor Lordão, através da Secretaria Estadual de Educação, estará divulgando edital de seleção para o Cursinho Pré Vestibular do Estado - PBvest. Em 2011 foram matriculados 168 estudantes no PBvest que funcionava nos finais de semana. Até a última chamada da UEPB no dia 18 de maio são exatas 100 aprovações em 2011, com destaque para 4 aprovações em Direito.

25 de maio de 2012

O encontro de um mortal com um imortal: Wellyson Marlon Jr. e Lêdo Ivo ladeados


     O título pode soar estranho, porém não o é. Explico: o picuiense Wellyson Marlon Jr., 22, - mortal – foi ao encontro do escritor e poeta Lêdo Ivo, 88, membro da Academia Brasileira de Letras (ABL), logo - imortal. Dentre os vários autores lidos pelo picuiense, o alagoano Lêdo Ivo é um dos prediletos. Inclusive, em 2011, o poeta presenteou o jovem com Poesia Completa, coletânea de todos os seus livros de poesia reunidos em um único volume. Modernista da geração de 45 – a mesma de João Cabral de Melo Neto -, Lêdo Ivo é um dos maiores poetas vivos do Brasil e América Latina. Sua premiada obra (poesia e prosa) já foi traduzida para diversos idiomas e lançada em vários países. Apreciado por uma legião de leitores e críticos literários exigentes, é publicamente um anti best-seller. Formou-se em Direito, embora tenha ganhado a vida como jornalista. Radicou-se no Rio de Janeiro desde os anos 40. E foi eleito unânime para a ABL.
      O encontro rápido aconteceu em seu apartamento repleto de livros e belíssimas obras de arte, no bairro de Botafogo, Rio de Janeiro. Foi muita sorte encontrar o poeta em casa, pois Lêdo Ivo chegara de Portugal no dia anterior, e estava de saída para Teresópolis, onde iria se encontrar com o filho, Gonçalo Ivo, artista plástico radicado em Paris, na França. “Cheguei no momento exato, um tempo depois não teria o encontrado.” Afirma o picuiense. Quando apresentado, Lêdo Ivo foi preciso: “Ah, lembro-me muito bem de você, da Paraíba, que me enviou uma carta.” O acadêmico indagou sobre Picuí, os poetas locais e se há biblioteca. “Picuí é uma típica cidade do interior nordestino, distante 283 km da capital João Pessoa. Temos o poeta Antônio Henriques Neto, o maior de todos, um dos melhores do país na poética popular. Há em Picuí uma excelente biblioteca pública com ótimos títulos, projeto cultural do Governo Lula.” Respondeu o autêntico picuiense, entre outros detalhes.
      “Mas o que você veio fazer no Rio de Janeiro?” perguntou o imortal. E a resposta imediata: “Vim estudar cinema”. De repente Lêdo Ivo se levantou e se dirigiu ao telefone dizendo: “Vou telefonar para Nelson Pereira dos Santos lhe receber na Academia (Brasileira de Letras).” A primeira tentativa não deu certo, na segunda o cineasta e colega de Academia atendeu. Então, Lêdo Ivo proferiu: “Nelson,cheguei ontem de Portugal. Meus ouvidos ressoaram muito seu nome nas terras ibero-europeias. Estou aqui com um jovem aspirante a cineasta, Wellyson é o nome dele. Quero que você o receba na Academia, na quinta-feira, às três da tarde. Obrigado!”
      Wellyson propôs ao poeta um site oficial com seus melhores e mais importantes textos, Lêdo Ivo relutou afirmando que não gosta da internet. Também  disse, em primeira mão, que próximo ano relançará dois títulos importantíssimos dentro da Literatura Brasileira, Ninho de Cobras (romance crítico à Ditadura Militar no Brasil) e Confissões de um poeta – obra memorialística quase única de nossas letras. Lêdo Ivo pediu que Wellyson o procure em dez dias para um novo e calmo encontro. Antes disso o bibliófilo picuiense terá que se encontrar com o cineasta e imortal Nelson Pereira dos Santos - ícone do Cinema Nacional – na Academia Brasileira de Letras (ABL). Entretanto, essa é uma outra história.

10 de maio de 2012

O poeta e o aprendiz: Ferreira Gullar e Wellyson Marlon Jr. frente a frente


O maior poeta vivo do Brasil e prêmio Camões 2010 – a mais importante distinção dada a um escritor de língua portuguesa -, Ferreira Gullar, 81, recebeu em seu apartamento, no Rio de Janeiro, o picuiense Wellyson Marlon Jr., 22. Um encontro premeditado pelo jovem há anos. No último dia 30 após desembarcar no aeroporto do Galeão, o picuiense Wellyson não hesitou em procurar o poeta Gullar em sua residência, à rua Duvivier, em Copacabana. A ousadia lhe custou um livro de presente, Rabo de Foguete – Os Anos de Exílio, uma revista e um livro autografados, e um excelente bate-papo cabeça de mais de uma hora sobre literatura, arte, ciência, política, memórias, religião, Deus, ABL, José Sarney, Oscar Niemeyer, Fidel Castro, Socialismo, Comunismo, Capitalismo, mundo, enfim.
O poeta Ferreira Gullar é lido com voracidade pelo picuiense Wellyson Marlon Jr. desde seus 17 anos. Do primeiro livro de poesia, Um pouco acima do chão, ao último, Em alguma parte alguma. São treze livros lidos e relidos incontáveis vezes. Passando, é claro, pelo famoso e premiado Poema Sujo, de 1975, - com mais de cinquenta páginas e mais de dois mil versos - escrito no exílio em Buenos Aires durante a ditadura militar do Brasil, considerado por Vinícius de Moraes, “o mais importante poema escrito em qualquer língua nas últimas décadas”. E segundo o grande crítico literário Otto Maria Carpeaux o Poema Sujo deveria chamar-se “Poema Nacional, porque encarna todas as experiências, vitórias, derrotas e esperanças do homem brasileiro”. Tamanho o impacto que produziu, à época, e ainda produz, que o diga o aprendiz Wellyson. Sem falar também da leitura incessante de parte da prosa: ensaios, crônicas, artigos e textos aleatórios.
Em 2011 Wellyson escreveu o poema Pulsão Estelar: Vida dedicado ao seu sobrinho Kauã Nícolas e a Ferreira Gullar. Após enviá-lo ao poeta o reconhecimento foi instantâneo, seu último livro de poesia especialmente autografado para ele. O poema foi publicado pelo Correio das Artes (suplemento literário do jornal A União), em setembro de 2011. Com lançamento em João Pessoa e parte do Estado da Paraíba. Até um jornalista da Rede Globo de Televisão, George Moura, soube do poema. E agraciou Wellyson com a biografia de Gullar, escrita pelo mesmo.
“Quando vi Ferreira Gullar quase não acreditei que fosse ele, mais parecia um sonho. Então, lhe disse: ‘o senhor existe!’, Gullar riu com naturalidade, pois deve ouvir muito isso por aí.” Diz o audacioso picuiense. “Foi um encontro divino, o universo conspirou ao meu favor, tenho certeza. Não quer dizer que Gullar vá receber todos em sua casa.” Completa.
Após o primeiro encontro outros dois se sucederam. “Um dos meus heróis de adolescência acabei conhecendo facilmente. Ferreira Gullar quase que inatingível. Às vezes nem dá pra acreditar. Mas é verdade, não estou em estado feérico. Seria interessante que as pessoas comuns estivessem frente a frente com seus ídolos para entenderem o que significa pra mim.” Enfatiza, feliz, o picuiense Wellyson Marlon Jr.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...