10 de abril de 2012

Wellyson Marlon Jr. conhece o crítico de cinema e literatura João Batista de Brito


O picuiense Wellyson Marlon Jr. esteve no último domingo em casa do crítico de cinema e literatura João Batista de Brito, um dos maiores nomes do país na área da crítica cinematográfica. João é casado com uma picuiense, Detinha, filha do ex-prefeito do município Eduardo Macedo. O encontro se deu na capital João Pessoa, aspirado há algum tempo pelas cunhadas do cinéfilo, Ninfa e Normândia, sobretudo pelo jovem picuiense que futuramente pretende cursar no Rio de Janeiro a Escola Darcy Ribeiro de Cinema, a melhor do Brasil.

Na ocasião, Wellyson contou ao crítico de cinema que a primeira vez em que ouviu alguém falar em seu nome passou despercebido. A segunda vez foi através do diretor de fotografia João Carlos Beltrão, durante as gravações de O Contador de Filmes — curta do cineasta paraibano Elinaldo Rodrigues, o qual aborda a vida do cinéfilo picuiense Ivan Cineminha, uma verdadeira enciclopédia ambulante da sétima arte moderna. O documentário foi rodado, em parte, na cidade de Picuí, em 2010. Inclusive, o filme encerra coincidentemente com Wellyson dando um depoimento sobre sua relação pessoal com o cinema do ponto de vista local. João é um dos personagens desse documentário paraibano, premiadíssimo em festivais, tendo também o traduzido para o inglês.

Wellyson ficou encantado ao saber da figura intelectualizada de João. Então, certa vez perguntou ao amigo, professor universitário e escritor picuiense Carlos Cartaxo (prêmio Jabuti de literatura) se conhecia o tal de João Batista de Brito: "É um dos caras mais geniais que conheço. Já leu Shakespeare em inglês. Conhece cinema como poucos. Também crítico de literatura. Professor aposentado da UFPB. E um intelectual de marca maior.” Wellyson arrancou risos de João ao dizer o que pensou enquanto Cartaxo lhe dizia: “Tenho que pegar esse cara pra ser meu amigo!”

João é o autor de Imagens Amadas, publicado no ano do centenário do cinema, este livro está dividido em três partes. As duas primeiras compreendem críticas de filmes, e a última, uma série de textos sobre teoria e história do cinema, com fartura de exemplos. À leitura das resenhas que compõem a primeira parte, também é possível assimilar muitos conceitos e informações teóricas, uma vez que estes são mobilizados pertinentemente para a construção das análises. O título do livro dá nome à sua coluna no suplemento literário Correio das Artes (do jornal A União) e a um blog, muito visitado no Brasil e também por internautas do exterior, o que muito lhe surpreendeu. Eis o link: http://imagensamadas.com/.

O crítico presenteou o picuiense com um de seus títulos, Um beijo é só um beijo (Minicontos para Cinéfilos), obviamente com direito à dedicatória, é claro: “A Wellyson, com apreço e todas as expectativas de João Batista de Brito, em 08.04.2012. E também assistiram juntos o documentário O Contador de Filmes, até então, inédito para Wellyson. “Não sabem o prazer e a honra que foi conhecer João. Um sujeito simples e adorável, muito embora um intelectual formidável.” Diz o picuiense maravilhado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...